Administração Escolar e ou Administração Empresarial?

Atualizado: 24 de Mai de 2019




No livro Administração escolar: Introdução Crítica, publicado pela Editora Cortez, o autor Vitor Henrique Paro apresenta ao leitor, a princípio, algumas considerações importantes acerca da necessidade de distinguir conceitos entre a Administração Escolar e Administração Empresarial, defendendo que os objetivos são divergentes.

No meio acadêmico, entre alguns especialistas, parece haver consenso no conceito defendido pelo autor. Mas será mesmo que uma instituição de educação básica deveria pertencer a um modelo diferente de gestão? Escola tem responsabilidade trabalhista e fiscal? Responde ao código de defesa ao consumidor?

Por fim, mesmo entendendo que o modelo de administração capitalista para o âmbito escolar é divergente, o autor admite que as teorias da Administração Geral poderiam contribuir com o alcance de maiores resultados no ambiente escolar, desde que o objetivo final fosse entregar ensino de melhor qualidade e que a visão da Administração Escolar esteja comprometida com a transformação social alinhada com seus objetivos.

É claramente possível entender a preocupação do autor, pois em minhas experiências tenho percebido que muitas escolas não estão preocupadas com a proposta pedagógica e os resultados de aprendizagem, aliás, muitas não possuem um Projeto Político Pedagógico para apresentar aos pais e me procuram para alavancar matrículas ou resolver um problema que deveria ter sido considerado no Projeto. O mais interessante é que todo fornecedor de tecnologia educacional que bate em suas portas são atendidos sem antes haver consideração sobre que modelo de educação querem oferecer aos alunos. São escolas muitas vezes reféns do sistema apostilado, em que a mantenedora não consegue em uma frase apresentar a proposta pedagógica do seu colégio, pois está preocupada unicamente com indicadores de matrícula.

Minha contribuição para esse tema é que a administração escolar, no que se refere ao ensino privado, é diferente da administração empresarial à medida que o objetivo seja formar alunos de forma integral, contribuindo com uma sociedade mais justa, portanto, desenvolver uma proposta séria como essa não poderá acontecer de cima para baixo, mas com a contribuição de todos os envolvidos e impactados no processo de ensino, sem conflito de interesses. Logo, a Administração Escolar moderna deve se preocupar com os pilares de sustentação da sua proposta de ensino. São áreas sistematicamente alinhadas com o mesmo objetivo. Tentarei elencar e resumir suas principais funções.

  1. Gestão Estratégica - É uma forma de reflexão e ação sistemática e continuada, a fim de avaliar a situação atual e elaborar projetos de mudanças estratégicas. Os professores e coordenadores participam do processo, uma vez que estamos avaliando as mudanças da sociedade e o rumo da educação.

  2. Gente & Gestão - Não será possível executar o Plano Estratégico sem colaboradores com o perfil adequado e formação continuada.

  3. Gestão Pedagógica - É o foco da escola, o refletir pedagógico, onde o Projeto Político Pedagógico é elaborado, executado e constantemente revisitado. Aqui deverá ter o envolvimento da família.

  4. Gestão Comercial e Marketing - Sem alunos não há razão de existir. Esse campo tem a função de mostrar aos pais e ao mercado os projetos pedagógicos sendo executado durante o ano todo. Na fase de matrícula ou renovação, deverá convencer os responsáveis de que a escola é a melhor opção para seus filhos, o que torna essa área dependente de todas as outras.

  5. Gestão de Finanças - Os indicadores de inadimplência, orçamento planejado e realizado, custos e lucros é que garantirão investimentos na área de ensino da escola. Por meio dos resultados financeiro a escola deverá investir na infraestrutura, tecnologia, inovação e formação continuada de todos os colaboradores.

  6. Infraestrutura, tecnologia e inovação - Dentro do conceito de triangulação da educação onde temos Escola, Aluno e Família, devemos entender que essa área deverá investir no funcionamento da escola, como garantir que a lousa digital funcione, que os professores tenham condições de proporcionar um ensino significativo aos alunos e que atendam ao plano de aula proposto. Os alunos devem ser apaixonados pelo ambiente escolar, refletindo sua vivência. O responsável deverá sair da caixa e olhar o mercado em busca de novas soluções educacionais que sejam equivalentes aos objetivos de ensino e aprendizagem da instituição.

  7. Gestão de Resultados - Não basta ter uma plano estratégico com linguagem rebuscada, um PPP atualizado, tecnologia funcionando mas sem indicadores de resultados. Estabelecer os indicadores é importante para qualquer tipo de gestão. Nas redes municipais, o principal indicador é o IDEB. E na particular? Como medimos a evolução do aluno na Matemática e no Português? Como acompanhamos o desenvolvimento das habilidades e competências propostas pela BNCC dentro dos projetos da escola? Para escolas que ainda não são medidas pelo Enem, como devemos medir o desempenho? Além disso, como medimos a saúde financeira da escola?

Para concluir, a leitura que eu faço é que a Administração Escolar precisa ser realmente transformadora, com um olhar amplo de todos os processos importantes para entregar os resultados propostos democraticamente entre os envolvidos no processo de ensino e aprendizagem. O Plano Político Pedagógico deve ser o norteador do rumo da escola e não o contrato com o sistema de ensino ou apenas a retirada de lucro pelos sócios da escola. Uma administração transformada é aquela que entende que a educação eficaz se faz com foco na triangulação entre os envolvidos no processo: escola de qualidade, aluno que ama sua escola e família que participa e contribui com o saber.

Quero muito saber o que você achou desse tema e me coloco à disposição para conversar sobre as áreas abordadas no texto.

João Maurício é Consultor em Gestão Escolar, formado em Administração de empresas com MBA em Marketing, estudando MBA em Gestão Escolar pela ESALQ USP. Atua na implantação de certificação da qualidade e em pesquisa de mercado com desenvolvimento de estratégias competitivas. Desenvolve estudos sobre Competitividade, Qualidade, Crédito e Cobrança para Instituições de Ensino Básico.

#Liderança

40 visualizações