Como sua escola trata os pais adimplentes?

Atualizado: 24 de Mai de 2019



Quer driblar a inadimplência? Veja como implantar programas de incentivos e reverter esse cenário.

Esse material não pretende de forma alguma esgotar o assunto abordado, mas sim motivar os gestores a refletirem sobre como buscar um modelo padrão de gerenciamento da inadimplência na busca da eficiência financeira e investimento na qualidade da educação básica.

O atual cenário econômico do país exige cada vez mais que as instituições escolares adotem estratégias de redução da inadimplência e do estoque da dívida. Diferentemente da maioria das empresas, as escolas têm sua receita pouco diversificada e concentrada basicamente nas mensalidades dos alunos. Isso gera, naturalmente, um grau de dependência, que poderá colocar em risco novos investimentos. Além disso, precisamos lembrar que uma escola particular além de ser uma instituição de ensino é também uma empresa; portanto, possui obrigações trabalhistas e fiscais e deve gerenciar e enfrentar a inadimplência e não ficar submissa à situação de desemprego e outros fatores que colocam em risco a continuidade da prestação do serviço educacional.

Na pesquisa realizada com uma amostra de 102 escolas de Educação Básica realizada no período de 4 de novembro a 8 de dezembro de 2016, foram levantados os principais fatores que permeiam o processo de gestão da inadimplência das escolas e buscamos identificar boas práticas que tragam resultados efetivos dentro da limitação em que dá o processo de cobrança no segmento educacional, como determina o artigo 6º da Lei Federal n. 9.870/99, além do Código de Defesa do Consumidor nos artigos 42 e 71.

Perguntamos se, naquele momento, a escola adotava uma política para incentivar e premiar os pais que pagavam em dia. Expressivamente, 84% das instituições de ensino responderam que não utilizam programas para incentivar a adimplência escolar, apenas cobra as inadimplências.


O gráfico mostra que a maioria das escolas está preocupada mais com a inadimplência do que com os pais que pagam em dia. As boas práticas provam que escolas que oferecem recompensas mantêm números saudáveis de inadimplência, evasão escolar e menor custo de cobrança.

Em um programa de televisão do SBT chamado "Pra Ganhar É Só Rodar", o participante sorteado deverá ir até o palco para participar do jogo. O prêmio é definido de acordo com as combinações das fotos e pode valer até 1 milhão de reais. Entretanto, para participar do "Baú da Felicidade" é preciso manter as mensalidades rigorosamente em dia.

Qual é a relação da atitude tomada pelos administradores desse programa com o assunto deste texto? Bom, se Silvio Santos está preocupado em receber em dia, as escolas também deveriam adotar programas de incentivos.

A escola poderá, por exemplo, desenvolver um programa que gere pontos cumulativos e descontos todos os meses com pagamento até a data do vencimento do boleto. Os pontos acumulados darão ao responsável pelo pagamento a opção de trocar por desconto na primeira mensalidade do ano subsequente ou no material didático.

Portanto, com a recessão da economia instalada, a qual tem levado alunos da rede particular para a rede pública e as escolas privadas devem se esforçam para segurar as pontas e aplicar medidas criativas e inovadoras para estancar a evasão dos alunos e manter a adimplência dos pais ou responsáveis, sem tirar o foco na qualidade do serviço prestado.



João Maurício é Consultor em Gestão Escolar, formado em Administração de empresas com MBA em Marketing. Atua na implantação de certificação da qualidade e em pesquisa de mercado com desenvolvimento de estratégias competitivas. Desenvolve estudos sobre Competitividade, Qualidade, Crédito e Cobrança para Instituições de Ensino Básico.

#CréditoeCobrança #GestãoeFinanças

0 visualização